Você pode ter uma ótima ideia de negócio, um sólido apoio financeiro e uma pesquisa de mercado otimista, mas se sua equipe não tiver o equilíbrio certo de personalidades, você poderá estar fechando sua empresa em breve, diz Bernd Schoner, autor do livro The Tech Entrepreneur’s Survival Guide, ou “O Guia de Sobrevivência de uma Startup tecnológica”, numa tradução livre.
Apesar de sua experiência ter sido transformada numa retórica para startups, acreditamos que seu conteúdo pode ajudar fundadores de todos os tipos e para todas as empresas. Conheça agora os seis perfis que seria importante você ter na sua sociedade.

A experiência traumática de Bernd.

Ter a equipe certa determina o caminho e o resultado de um novo empreendimento mais do que qualquer decisão no ciclo de vida de uma empresa.

Ele fala por experiência própria: em 2002, Schoner co-fundou uma empresa de identificação por radiofreqüência com quatro colegas Media Lab graduados no Massachusetts Institute of Technology (MIT), e viveu um ano de “agitação extrema”.
“Nós já tínhamos trabalhado juntos antes e estávamos convencidos de que nos conhecíamos bem”, diz ele. “Mas uma vez que você começa uma empresa, a pressão externa faz com que as pessoas ajam de forma diferente. Essa foi para mim uma das experiências mais traumáticas nos meus primeiros anos. Um ambiente fundamentalmente diferente muda as pessoas e como elas reagem”.

As habilidades e os traços dos fundadores de uma empresa são insubstituíveis, o que torna importante fazer certo desde o começo, diz Schoner, que liderou a sua startup nos seus altos e baixos, e finalmente acabou vendendo ela.

Uma equipe fundadora não pode ser alterada e ninguém pode falar com investidores ou clientes com a autoridade como um fundador consegue. É um grande trunfo ter no início e difícil adicionar mais tarde.

Conheça os 6 perfis para abrir uma empresa.

Bernd, que atualmente é vice-presidente de desenvolvimento de negócios da ThingMagic, diz que uma empresa precisa destas seis personalidades para ter sucesso. Enquanto uma pessoa pode ter mais de um desses traços, estes seis precisam existir:

1) O Gênio.

Expertise é uma habilidade que não pode faltar numa sociedade“, diz Schoner. “Cada startup precisa de pelo menos um gênio para sair do chão”, diz ele. Muitas vezes uma diva, o gênio vai desafiar o resto da equipe e pedir as coisas que os outros não têm certeza de como fazer. Esta pessoa está cheia de paixão e é muitas vezes considerado o membro que mais toma riscos.

2) O superstar.

O superstar é a pessoa que arregaça as mangas e realiza tarefas. De encomendar materiais de escritório para manter a rede do escritório em execução, esta pessoa tem uma combinação de excentricidade, ser nerd e carisma, diz Schoner.

“O gênio e o superstar são, muitas vezes, a mesma pessoa”, diz Schoner, acrescentando que essa personalidade é quase impossível de acrescentar mais tarde. Se você não tiver o superstar desde o começo, conseguir alguém para sê-lo para ti será difícil. Muito difícil.

3) O líder.

Gerenciar uma empresa com mais de um fundador é um processo democrático, mas decisões difíceis precisam ser feitas que afetam a vida de todos. Consenso normalmente requer compromisso, acrescenta Schoner.

“Toda empresa precisa de um líder claro”, diz Bernd. “Isso não significa que eles são melhor pagos ou têm mais porcentagem na sociedade e eles não são necessariamente o CEO. Apenas significa que os outros têm essa pessoa como exemplo e estão dispostos a segui-la se houver conflito e quando decisões controversas precisarem serem feitas.”

4) O veterano da indústria.

Enquanto startups são muitas vezes formadas em torno de novas ideias, ajuda muito ter alguém que sabe como as coisas são feitas em uma indústria.

“É preciso uma longa imersão no mercado para chamar-se um experiente, para entender as sutilezas do cenário competitivo, para reconhecer as pessoas como verdadeiros recursos, e enxergar o que há por trás daquela apresentação ou campanha midiática “, diz Schoner. “O veterano da indústria já viu isso acontecer antes e sabe como todo mundo faz isso.”

O líder e o veterano da indústria poderiam vir na mesma pessoa, diz Schoner. Se uma empresa não tem um líder destacado, pode mais tarde contratar um CEO. “Mas não faça isso cedo demais”, diz Schoner. “A empresa pode se beneficiar, mas muitas vezes acaba não sendo a mesma empresa”.

5) O vendedor animal.

Empresas com ideias brilhantes muitas vezes esquecem que alguém precisa vendê-las, diz Schoner. Ter um vendedor forte na equipe fundadora ajuda a minimizar o risco.

“A combinação de conhecimento técnico, autoridade de fundador e experiência de vendas é uma vantagem difícil de bater no mercado competitivo”, diz ele.

6) O cabeça das finanças.

As empresas, mesmo no começo, também precisam de talento financeiro. Embora esta seja a personalidade mais fácil de acrescentar mais tarde, os controladores profissionais e os agentes de risco costumam ter sua própria agenda, diz Schoner.

“Compreensivelmente, eles estão tentando construir uma carreira, ganhar dinheiro rapidamente, ou possuir tanto estoque quanto possível no momento em que os membros fundadores do seu empreendimento estão prontos para uma saída”, diz ele. “Se você pode colocar um sócio qualificado encarregado de supervisionar a função de finanças, você pode desfrutar de um pouco de paz de espírito.”

Uma nota final sobre os perfis de fundador:

Embora as habilidades sejam importantes, Bernd Schoner diz que a atitude sempre supera.

Boas habilidades são uma segurança contra tempos difíceis em uma empresa. Mas em caso de dúvida, escolha pessoas que têm valores semelhantes.

Como eles definem o sucesso? E dinheiro? Pensam em seu impacto no mundo? Ter crenças semelhantes sobre como viver a vida pode trazer longevidade como uma equipe.

Essas foram as 6 perfis recomendados para uma sociedade numa empresa. Qual desses perfis você se encaixa? Qual falta na sua empresa? Deixe nos comentários abaixo!

Fonte: Virgin (artigo original em inglês)